Jovem devolve para dona iPhone furtado que comprou pela internet

O analista de marketing Arthur Pacini, de 24 anos, comprou um iPhone 5 através de um site de vendas e ao ligá-lo percebeu que o aparelho era, na verdade, um telefone furtado. A compra foi feita na segunda-feira (25) e, desde então, ele se dedicou a procurar o possível proprietário.

Arthur conta que pouco antes havia perdido o seu celular, um iPhone 5c, em um golpe quando tentava vendê-lo através do mesmo site de vendas online. Para tentar amenizar os danos, ele decidiu procurar um novo iPhone por um valor menor. Voltou, então, ao mesmo site de vendas. “Fui em busca de um mais barato e encontrei esse para vender. Combinei com o vendedor e fui encontra-lo. Verifiquei o aparelho e não notei nenhum sinal de que poderia ser roubado”, explica.

Sem que ele notasse, o homem em questão trocou o produto por outro. “Na hora eu nem percebi. Quando eu fui entregar para a minha namorada, ele não desbloqueava de jeito nenhum. Quando eu finalmente consegui, eu abri e vi que tinham fotos de outra pessoa nele”.

Após buscar por todo o aparelho, ele conseguiu encontrar o email do possível proprietário e o utilizou para localizar a pessoa no Facebook. “Vi que tínhamos dois amigos em comum, então, comecei a mandar mensagem. Depois de um tempo, ela retornou”.

A pessoa em questão era da designer gráfica Evelyn Leine Gargiulo, de 29 anos. Ela havia sido furtada no sábado (23), dentro do ônibus em que estava a caminho do centro da capital paulista. Quando viu a mensagem avisando que haviam encontrado seu celular, não acreditou. “Na hora você acha que é mentira. Liguei para ele e ele me contou a história, eu comecei a chorar”.

O objetivo dela agora é juntar dinheiro para comprar um celular novo para ele. “Eu e uns amigos estamos tentando fazer uma vaquinha online para recuperar o dinheiro que ele perdeu. É o mínimo que posso fazer”

Ler a matéria na íntegra | Curta A Boa Notícia do Dia | Siga no Twitter

Para combater o desperdício, restaurante prepara pratos com alimentos que seriam jogados fora

O desperdício é um dos maiores males do mundo. Enquanto uns esbanjam fartura em seus pratos, outros almejam ter o que comer no dia seguinte. A triste estimativa é de que 1,3 bilhões de toneladas de alimentos vão parar no lixo anualmente, representando quase 40% da produção global.

Para reaproveitar a comida em bom estado jogada fora, e evitar o tal desperdício em quantidades absurdas, o inglês Adam Smith e a brasileira de nome gringo Johanna Hewitt, com a ajuda de amigos que se identificam com a causa, fundaram o projeto “The Real Junk Food” (em tradução livre, “a verdadeira comida junk, do lixo”).

E assim nasceu o café Pay As You Feel (em tradução livre, “Pague O Que Você Quiser”), instalado na cidade de Leeds, em Londres, desde o final de 2013, que utiliza apenas mantimentos que continuam bons para consumo e que iriam para o lixo. Como o nome indica, os clientes pagam o quanto quiserem ou acharem justo pelo que estão consumindo.

Ou seja, os responsáveis aproveitam não os alimentos que já foram jogados fora, mas que passaram do prazo de validade e ainda estão totalmente consumíveis, vindos de várias fontes, como supermercados, feiras, restaurantes, entre outros. Tendo isso em mãos, o cardápio varia diariamente, já que é elaborado exatamente com o que há no estoque. O casal também preza por refeições nutricionalmente variadas e equilibradas.

Ler a matéria na íntegra | Curta A Boa Notícia do Dia | Siga no Twitter

Professor americano publica conto de fadas com romance entre dois homens

Os contos de fadas terminam muitas vezes com o príncipe salvando a princesa e se casando com ela… Mas este conto tem um final feliz diferente. A princesa é lésbica, independente, e não precisa ser resgatada, e durante a busca, os dois homens se apaixonam e, no fim, acabam se casando numa igreja medieval.

O conto de fadas contemporâneo é narrado no livro infantil “The princes and the treasure” (“Os príncipes e o tesouro”), de Jeffrey A.Miles, Professor da Escola de Negócios da Universidade do Pacífico, na Califórnia, Estados Unidos. Ele teve a ideia há dois anos, enquanto assistia a uma apresentação com um príncipe e uma princesa num parque de diversões. Ao ver os atores cantando e dançando, ele se perguntou porque não existia nenhum príncipe gay nem nenhuma princesa lésbica. “Quando voltei para casa, resolvi criar a minha própria história.”

A aceitação do livro tem sido muito boa e, de acordo com Jeffrey, casais heterossexuais contaram que o livro os ajudou a conversar com os filhos sobre homossexualidade. Já os pais homossexuais disseram que o conto serviu de apoio para falar com as crianças a respeito de seus próprios companheiros.

Ler a matéria na íntegra | Curta A Boa Notícia do Dia | Siga no Twitter 

Mulher de 99 anos faz um vestido por dia para crianças na África

Lillian Weber, uma simpática norte-americana de 99 anos, que mora no Estado americano de Iowa, é uma costureira de mão cheia. Há três anos, ela conheceu um projeto que auxilia crianças carentes na África e em outros países e resolveu ajudá-las de uma forma inusitada: confecciona um vestido por dia.

A “Little Dresses for Africa” (“Pequenos Vestidos para a África”) é uma organização cristã sem fins lucrativos que distribui vestidos para orfanatos, igrejas e escolas. Ao longo dos últimos anos, Lillian já doou mais de 840 peças e diz que espera chegar ao número 1000 em breve, quando completar 100 anos.

Para fazer os vestidos, ela reaproveita fronhas e sempre acrescenta algum detalhe para torná-los mais especiais. Ela não economiza esforços para personalizar suas criações e deixá-las ainda mais bonitas, alegrando a vida de uma menina no outro continente.

O que torna a história de Lillian ainda mais surpreendente é sua idade, que não a impede de iniciar a produção de um novo vestido todas as manhãs, fazer uma pausa ao meio-dia e terminar no fim da tarde.

A nonagenária costura para para o projeto desde 2011, quando ela e um grupo de mulheres de mais de 80 anos decidiram apoiar a organização. Até agora, o projeto já distribuiu 2,5 milhões de peças em 47 países. Recentemente, Lillian foi indicada para o prêmio “Pay It Forward”, da rede de televisão WQAD.

Via Sandro Proença 

Ler a matéria na íntegra | Curta A Boa Notícia do Dia | Siga no Twitter 

Livraria Vazia arrecada livros para crianças

O projeto Livraria Vazia, do Natal Shopping, montou estruturas de prateleiras vazias para arrecadar livros de literatura infanto-juvenil, até o dia 30 de julho. O material será doado ao Hospital Infantil Varela Santiago e à Casa Durval Paiva, cuidadora de crianças com câncer.

Todos os dias, a livraria é esvaziada para arrecadar mais doações. Até hoje, a Livraria Vazia arrecadou mais de 160 títulos.

Paralelamente à Livraria Vazia, o local também está realizando a Book Lovers, uma feira de livros infantis com títulos a baixo custo.

O projeto foi inspirado nas ações sociais do Shopping Villa Lobos, em São Paulo.

Ler a matéria na íntegra | Curta A Boa Notícia do Dia | Siga no Twitter

ONG transforma caixas de papelão em mochilas que ainda viram mesas pra ajudar estudantes indianos

O design pode mudar o mundo, para melhor. Basta usá-lo de forma orientada e estratégica. Conheçam uma iniciativa na Índia, onde a maioria das escolas rurais não tem materiais básicos para boa parte dos estudantes, como mesas e mochilas, dificultando o processo de aprendizagem que já é defeituoso, além dos problemas de saúde associados à má postura das costas.

Uma organização sem fins lucrativos na Índia, a Aarambh, chamou alguns designers para trabalharem juntos no seguinte desafio: Como o problema poderia ser resolvido de forma efetiva e economicamente viável? Uma das respostas foi “Transformando simples caixas de papelão em uma mochila que depois possa virar uma mesa.”

De um jeito fácil, econômico e ecológico, o projeto levou para muitas crianças uma forma de guardar seus materiais e ainda usar a mochila como uma mesa.

O vídeo explica muito bem!

Ler a matéria na íntegra | Curta A Boa Notícia do Dia | Siga no Twitter

Brasileiro ganha a Medalha Fields, o Nobel da matemática

Arthur Avila foi o primeiro brasileiro a ganhar a Medalha Fields, considerada o “Nobel da matemática”, por sua pesquisa na área de sistemas dinâmicos.

Essa é a primeira vez que a premiação, criada em 1936, é atribuída para um matemático formado no Hemisfério Sul.

Também ganharam a medalha neste ano o canadense Manjul Bhargava, o austríaco Martin Hairer e a iraniana Maryam Mirzakhani.

O prêmio é entregue a cada quatro anos pela União Internacional de Matemática.

Este ano, a cerimônia será em Seul, no Congresso Internacional de Matemáticos. Para o Brasil, o evento começa às 21h e poderá ser acompanhado pelo site.

A Fields só é concedida a pesquisadores com, no máximo, 40 anos de idade - Avila tem 35.

Artur nasceu no Rio de Janeiro. Aos 16 anos, ganhou a medalha de ouro na Olimpíada Internacional de Matemática no Canadá e conclui seu mestrado junto com o Ensino Médio.

Assim, pulou a graduação e foi fazer o doutorado no Instituto Nacional de Matemática Pura e Aplicada (IMPA), no Rio de Janeiro, de onde ainda é pesquisador.

Ler a matéria na íntegra | Curta A Boa Notícia do Dia | Siga no Twitter 

Fotógrafo cria montagens surreais com cachorros abandonados para incentivar adoção

O fotógrafo hungáro Sarolta Bán utilizou o seu talento para incentivar as pessoas a adotarem cachorros abandonados.

No projeto Help Dogs with Images, ele coleta imagens de animais que procuram abrigo ao redor do mundo e cria montagens surreais. As pessoas que adotarem os cachorros recebem cópias das imagens.

As fotos também estão sendo comercializadas e parte da venda é revertida para os abrigos que cuidam dos animais.

Ler a matéria na íntegra | Curta A Boa Notícia do Dia | Siga no Twitter

Vídeo mostra reação de garoto ao ouvir pela primeira vez após implante

O sorriso de Matheus Alves Aroucha, de 2 anos, mostra que o dia 11 de agosto de 2014 ficará para sempre na história dele. O menino ouviu um som pela primeira vez na vida, após fazer a ativação do implante coclear multicanal, na manhã desta segunda-feira (11), no Hospital de Clínicas (HC) da Unicamp, em Campinas (SP).

O garoto nasceu com surdez profunda e ficou desde seus primeiros meses em uma fila de espera para implantar o aparelho, oferecido pelo Sistema Único de Saúde (SUS). Após a cirurgia, realizada no ouvido direito, ele vai poder escutar qualquer tipo de som e, com o acompanhamento de fonaudióloga, deve começar a falar no período de um ano e meio.

O menino realizou a cirurgia para a colocação do componente interno do implante em abril deste ano e nesta segunda ativou o sistema externo, que funciona como uma espécie de processador de som, que vai emitir as ondas sonoras para possibilitar a audição.

Ao ouvir pela primeira vez, Matheus sorriu ao ouvir os estimulos da fonaudióloga, que batia na mesa e conversa com ele. O garoto também colocava brinquedos no ouvido à medida que as pessoas conversavam com ele. “Muita gente me falou que eu não deveria fazer porque a manutenção era cara, mas eu estou muito feliz por meu filho poder ouvir”, afirmou a mãe Fabiana.

De acordo com os especialistas, quando o implante é ativado o paciente ainda escuta sons em volume baixo, depois, com o tempo, o aparelho aumenta e a reprodução é igual a real. Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), mais de 300 mil usuários colocaram o implante no mundo.

Dica do putzpaulim

Ler a matéria na íntegra | Curta A Boa Notícia do Dia | Siga no Twitter

Menina arrastada por tsunami é encontrada 10 anos depois

Raudhatul Jannah tinha apenas 4 anos quando ela e o irmão foram arrastados pela tsunami que atingiu sua casa na província de Aceh, na Indonésia, em 26 de dezembro de 2004. Os pais procuraram os irmãos por um mês. Ela foi dada por morta até que o tio materno viu uma adolescente parecida com a sobrinha um mês atrás. O reencontro aconteceu nesta quarta-feira.

— Meu marido e eu estamos muito felizes por encontrá-la — contou a mãe, Jamaliah, por telefone, de Aceh Ocidental. — É um milagre de Deus.

Raudhatul, agora com 14 anos, estava sendo criada por uma idosa no distrito de Aceh Barat Daya. A mãe diz não ter dúvidas sobre a identidade da jovem, mas que se for necessário se submeteria a exame de DNA. Sua esperança agora é de encontrar o outro filho, três anos mais velho do que Raudhatul e arrastado com ela pelas ondas.

— Vamos procurá-lo porque acreditamos que esteja vivo — disse a mãe.

Ler a matéria na íntegra | Curta A Boa Notícia do Dia | Siga no Twitter

Deficiente visual supera dificuldades e se torna fotógrafo

Brenden Borrellini nasceu com deficiência visual e auditiva. Desde pequeno, teve que conviver com todas as dificuldades que um deficiente enfrenta pela vida, mas isso não o impediu de sempre buscar seu sonho: ser um fotógrafo.

Steve Mayer-Miller, diretor artístico do Crossroad Arts, é seu mentor e sempre o ajudou: “Eu não conheço ninguém tão focado, motivado e perseverante do que Brenden”. Para ajudar com as opiniões do seu trabalho, o artisita utiliza uma máquina que converte textos em braille.

O grupo também transforma imagens 2D em 3D para que Brenden possa conhecer sua obra.

O vídeo que explica como é o processo para Brenden fotografar é incrível!

Dica do Sandro Proença 

Ler a matéria na íntegra | Curta A Boa Notícia do Dia | Siga no Twitter

Pessoas se unem para empurrar metrô e desprender perna de passageiro que havia ficado preso na Austrália

image

A união dos passageiros de um metrô na Austrália fez com que uma história que poderia ter se tornado uma tragédia tivesse um final feliz.

As imagens que rodaram o mundo, mostram um homem, logo depois de entrar no metrô, pisando em falso e prendendo a perna no vão entre a plataforma de embarque e o veículo. Em seguida, uma multidão se une para empurrar o trem e liberar o passageiro preso. O grupo só tem sucesso na segunda tentativa. Após o homem ser retirado, alguns passageiros aplaudem e comemoram. Ele é socorrido por funcionários, sai amparado do metrô e a rotina segue na estação.

O vídeo é de uma câmera de segurança de uma empresa de transportes públicos da Austrália (Public Transport Authority of Western Australia) e foi postado no canal da empresa no Youtube nesta terça-feira.

No primeiro minuto e 12 segundos do vídeo, é possível ver o homem prender a perna. Em seguida, um passageiro pede ajuda aos funcionários do metrô. Depois disso, dezenas de outros passageiros começam a chegar para ajudar o homem.

Aos 9 minutos, uma senhora pede que os passageiros que estão dentro do vagão saiam. Aos 11 minutos e 34 segundos, um funcionário pede para que as pessoas ajudem a empurrar o vagão. A primeira tentativa é sem sucesso, mas, aos 12 minutos e 4 segundos, os passageiros unidos conseguem desprender a perna do senhor, que sai agradecendo aos benfeitores.

O vídeo é incrível! 

Dica do Rodolfo Dorr

Ler a notícia na íntegra | Curta A Boa Notícia do Dia | Siga no Twitter

Cantora Taylor Swift canta para menino em hospital

Jordan Lee Nickerson tem 6 anos e é muito fã da cantora Taylor Swift, enquanto estava no hospital após ser diagnosticado com leucemia ele recebeu uma surpresa incrível! A própria Taylor o visitou e eles cantaram juntos. 

Os vídeos  são emocionantes! Veja um pouco: 

Dica da Soraya de Souza

Ler a matéria na íntegra | Curta A Boa Notícia do Dia | Siga no Twitter

Balões levam chocolates sul-coreanos para a Coreia do Norte

Ativistas sul-coreanos enviaram balões cheios de chocolate e tortas industrializadas para o solo norte-coreano nesta quarta-feira. As informações são do The Telegraph.

Cerca de duzentas pessoas participaram do evento para o transporte das guloseimas. Nos balões foram colocados mais de 350 quilos de chocolate, incluindo 10 mil “Choco Pies”, segundo revelaram os organizadores do evento.

O “Choco Pie” (Torta de chocolate, em tradução literal) é um produto de chocolate e marshmallow fabricado na Coreia do Sul, que foi proibido pelo governo norte-coreano recentemente, no último mês de maio, por ser considerado um “símbolo do capitalismo”.

Os ativistas sul-coreanos também usam os balões (cheios de gás hélio) para o território vizinho com panfletos e informações contra o governo de Kim Jong-un.

Dica do Guilherme Boaceff

Ler a matéria na íntegra | Curta A Boa Notícia do Dia | Siga no Twitter 

Auxiliar de escola cria colete que ajuda menino com paralisia cerebral

A auxiliar de inclusão Sabrina Machado Minhos, 36, cuida de Lucas Natã da Silva, 5, desde 2013, quando começou a trabalhar numa escola municipal em Esteio (RS). Frustrada com as limitações do menino com paralisia cerebral, ela fez um macacão que prende Lucas ao seu corpo e lhe dá movimentos.

Depoimento
Há 14 meses eu trabalho com o Lucas. Minha função é mantê-lo limpinho, já que ele usa fraldas. Também tenho que alimentá-lo, porque ele não consegue segurar os talheres. Transporto ele de uma atividade a outra da escola.

[O Grupo Folha não autoriza a publicação na íntegra do conteúdo produzido pelo jornal Folha de S.Paulo] 

Ler a matéria na íntegra | Curta A Boa Notícia do Dia | Siga no Twitter